Mulher relata experiência positiva no Centro de Parto Normal de Luís Eduardo Magalhães; ''melhor lugar para o parto''


O primeiro filho de Dhennyfi Matias, de 18 anos, veio ao mundo na madrugada desta quarta-feira, dia 11 de janeiro, pesando 3.696 gramas e com muita saúde. A bebê do sexo feminino, é a terceira luiseduardense a nascer na Casa de Parto Normal Vilma Ramos Guerra (CPN), em 2023, e a de número 58, desde a inauguração do Centro.

"A princípio eu estava bastante nervosa, mas toda a equipe me tranquilizou muito", disse. Dhennyfi destacou ainda a importância dos acompanhantes no momento do parto. "Antes de conhecer o Centro de Parto Normal, eu estava imaginando escolher entre o meu marido e a minha mãe. Aqui eu puder ter os dois. E isso foi fundamental pra mim", destacou.

Estrutura e equipe

O Centro de Parto Normal dispõe de cinco ambientes para os nascimentos, construídos visando o bem-estar da mãe, do recém-nascido e dos acompanhantes. No local são utilizados métodos não farmacológicos para alívio da dor.

Fortalecimento do pré-natal

A triagem para realização do parto humanizado ocorre pela atenção básica, através dos postos de saúde e as mães também podem buscar o atendimento diretamente no CPN. Para usufruir do direito, a paciente deverá ser de baixo risco, ter feito pré-natal com pelo menos seis consultas e os exames laboratoriais de pré natal, além da realização das consultas de vinculação, na Casa de Parto. Pacientes que realizarem pré-natal em atendimento particular poderão ser incluídas.

Equipe multidisciplinar

A equipe do Centro de Parto Normal Vilma Ramos Guerra é multidisciplinar, composta por 11 enfermeiros obstetras e 10 técnicos de enfermagem, além do coordenador, que também é especialista. Todos os profissionais com ampla experiência em parto, voltados para o Parto Humanizado e treinados em situações de emergência. O Hospital e Maternidade Dr. Gileno de Sá é o hospital de referência, caso haja alguma emergência durante os atendimentos.


Ascom prefeitura de Luís Eduardo Magalhães