Mau uso provoca aumento de obstruções na rede de esgoto durante as chuvas em Barreiras e Luís Eduardo Magalhães


O período intenso das chuvas e o mau uso da rede provocam transtornos, decorrentes de extravasamentos, e dificultam a operação dos sistemas de esgotamento sanitário de Barreiras e de Luís Eduardo Magalhães. Nos meses de novembro e dezembro, houve um aumento de 40% dos serviços de desobstrução da rede coletora de esgoto nas cidades polos do Oeste da Bahia. As equipes da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) precisaram intervir em 858 pontos neste período chuvoso, número bem maior que as 616 desobstruções registradas no período de estiagem, de agosto e setembro. A grande quantidade de lixo e de água de chuva que entra na rede por meio dos imóveis é a principal causa dos extravasamentos.

O gerente regional da Embasa, Marcos Rogério Moreira, explica que a maioria dos imóveis continua canalizando a água de chuva e o esgoto pela mesma tubulação. “O sistema de esgoto foi projetado para a coleta de esgoto. A água servida utilizada nos banheiros, cozinha e lavanderia deve ser direcionada para a rede de esgoto. A chuva que cai dos telhados e das áreas externas dos imóveis deve ser escoada para uma rede própria, caso exista, ou para a rua. A tubulação não suporta a grande quantidade de chuva e de resíduos provocando os extravasamentos na via pública, tornando a operação do sistema ainda mais difícil e complexa”, afirma.

Outro transtorno é a sobrecarga das bombas com a grande vazão de chuva que chega nas elevatórias, estruturas que funcionam para transportar os esgotos até a fase final nas estações de tratamento. “A Embasa conta com equipes especializadas e caminhões específicos para a desobstrução da rede coletora para garantir o funcionamento do sistema de coleta, transporte e tratamento do esgoto doméstico, mas que conseguem somente minimizar os transtornos ocasionados pelo mau uso da rede nas chuvas”, aponta Marcos Rogério Moreira.

Serviço - Além de separar a canalização do esgoto e da água da chuva, a Embasa também recomenda à população que evite abrir indevidamente as tampas dos poços de visita (estruturas de inspeção), que ficam geralmente localizados nas ruas, sob o risco de acidentes graves. Para solicitar os serviços de desobstrução da rede de esgoto e da caixa de inspeção localizada no passeio/calçada do imóvel, a população pode acionar a Embasa de forma ágil e de casa pelo Whatsapp (71) 997170999, pela Agência Virtual (agenciavirtual.embasa.ba.gov.br) ou pelo 0800 0555 195.




Assessoria de Comunicação da Embasa