Com patrocínio da Galvani, Museu da Pessoa lança livro com histórias de personalidades de Luís Eduardo Magalhães

Para resgatar e eternizar histórias de personalidades do município, o Museu da Pessoa lança, nesta sexta-feira (27), o livro “Luís Eduardo Magalhães – uma cidade feita de pessoas”. A obra, publicada pelo Museu da Pessoa e patrocinada pela Galvani Fertilizantes, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, celebra a memória da cidade a partir das pessoas que nela residem e integra as comemorações de 30 anos da empresa em LEM.

“Para nós, tem um significado muito importante poder documentar parte da história de Luís Eduardo Magalhães por meio do olhar de seus moradores. A Galvani chegou aqui antes mesmo da emancipação do município, então a nossa história está entrelaçada com o crescimento da região”, afirma Giovana Porteiro, gerente de Responsabilidade Social e Comunicação da Galvani.

Para que o trabalho de resgate das memórias pudesse ser feito, a equipe técnica do Museu da Pessoa preparou moradores da cidade, no que é conhecido como tecnologia social da memória. “O Museu da Pessoa tem um grande acervo que transforma histórias de vida em verdadeiras obras de arte. Nesse processo, moradores das regiões se tornam curadores”, conta Giovana.

Gente querida

O projeto conta a história de gente como Gerulina Antonia dos Reis, a dona Geru, uma senhora de 87 anos, que se mudou em 1981 com sua família para Mimoso do Oeste (atual Luís Eduardo Magalhães), em busca de uma vida melhor. Ela conta que enfrentou muitas dificuldades e presenciou muita pobreza. Dona Geru se tornou uma figura importante e querida na cidade, principalmente por ter realizado mais de 200 partos na localidade. Ela conta que se casou nova, nunca aprendeu a ler e escrever, morou na roça, teve dezessete filhos e viu oito deles morrerem por absoluta falta de assistência médica. Aliás, ela teve sozinha a primeira filha, e descobriu o talento que lhe acompanharia por toda a vida.

José do Nascimento Pereira Ramos, farmacêutico de 61 anos, também é personagem do livro. Ele chegou em 1987, quando a população do lugarejo não passava de cinco mil pessoas. Deixou sua família na cidade de Ponte Alta e morou sozinho um tempo, no próprio imóvel equipado para ser uma drogaria. O “Zezé da Farmácia”, assim ficou conhecido por todos. Orgulhoso, conta que hoje recebe da comunidade o reconhecimento pelos serviços que sempre procurou oferecer com muito amor. Foi em LEM que José se casou e viu crescer seus seis filhos.

A história da cidade pelo olhar de seus moradores está documentada no livro “Luís Eduardo Magalhães – uma cidade feita de pessoas” e em exposição virtual no site do Museu da Pessoa.

Sobre a Galvani

Empresa 100% brasileira que atua no setor de fertilizantes desde a década de 1960. É líder em produção e distribuição no Matopiba, região agrícola que compreende os estados de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Possui unidades de mineração e beneficiamento em Angico dos Dias e Irecê, um complexo industrial em Luís Eduardo Magalhães, todos na Bahia, e escritórios corporativos em Campinas (SP) e na capital paulista.