Secretaria de Saúde de Barreiras realiza mais uma capacitação para o SAMU e Segurança Pública


Dentro do projeto “Educação Permanente em Saúde” da Secretaria de Saúde de Barreiras, com o propósito de fortalecer a rede de atendimento de forma humanizada e integrada, a Coordenação de Saúde Mental realizou nesta quinta-feira,8, no auditório da Escola Municipal Celso Barbosa, mais uma etapa de capacitação sobre abordagem, acolhimento e atendimento aos pacientes psiquiátricos.

Na abertura, o clima natalino envolveu os participantes que conheceram um pouco do CoralMente com as Cantatas de Natal. São pacientes do CAPS II e CAPS AD, que soltam a voz e compartilham suas histórias de vida, levando a musicalidade para as Unidades de Saúde e espaços públicos. A professora de filosofia Adriana compartilhou sua experiência. “De médico e louco todos temos um pouco, mas a saúde mental é difícil de compreender. Então, eu passei por um trauma em sala de aula, entrei em depressão e procurei ajuda do CAPS, e estou me sentindo muito bem com a musicoterapia”, disse.

Voltado para os profissionais do SAMU e Polícia Militar da Bahia, a palestra do médico psiquiatra Dr. Tiago Borges, abordou informações sobre agitação psicomotora e contenção física, além dos protocolos de abordagem até o encaminhamento para a UPA 24h. Ele explica, que durante surtos psicológicos muitas vezes as famílias ou pessoas nas ruas, não sabem como agir ou acionar ajuda.

“Quando um paciente psiquiátrico entra em surto ou necessita de atendimento, a família ou as pessoas próximas devem acionar diretamente o SAMU, mas existem casos que precisam da intervenção da Polícia Militar. Então, essas situações exigem muito preparo, calma e sensibilidade por parte de quem atende. Essa educação permanente ajuda a reforçar e destacar as habilidades que precisam ser postas em prática, principalmente na contenção física e administração de medicação”, destacou o psiquiatra Thiago Borges.

A coordenadora de saúde mental, Denny Samper agradeceu a participação dos profissionais do SAMU e Polícia Militar, apontando principalmente a necessidade do acolhimento dos pacientes e familiares.

“Durante todo o ano, levamos essa capacitação aos profissionais de saúde, buscando de forma integrada proporcionar a cada dia, um atendimento humanizado aos nossos pacientes psiquiátricos, com transtornos ou qualquer doença mental. Esse momento nos dá a oportunidade de se colocar no lugar do outro, ouvir e atender, com uma abordagem diferenciada para este público. É preciso sim, ter conceitos próprios sobre como lidar com cada caso”, explicou a coordenadora.