Morre Pelé, o Rei do Futebol, aos 82 anos


Maior jogador da história do futebol brasileiro e considerado uma lenda em todo o mundo, Edson Arantes do Nascimento, o ‘Pelé’, faleceu na tarde desta quinta-feira, 29. O Rei estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, para tratar de um câncer e de uma infecção respiratória e vinha apresentando piora no quadro de saúde.

Pelé é considerado um dos maiores atletas de todos os tempos. Revelado pelas categorias de base do Santos, onde conquistou 45 títulos, o Rei do Futebol foi campeão de seis edições do Campeonato Brasileiro, além de duas Copas Libertadores da América e duas conquistas equivalentes ao Mundial de Clubes da Fifa.

Pela Seleção, Pelé esteve presente nas três das cinco edições das Copas do Mundo vencidas pelo Brasil. Em 1958, ainda menino, o craque foi fundamental na primeira conquista internacional, encerrando o ciclo de sofrimento causado pela derrota em casa para o Uruguai em 1950.

Em 1962, Pelé acabou se machucando no início do torneio, que teve novamente a seleção brasileira como vencedor. Após o fracasso de 1966, o Rei brilhou junto com as imagens de TV na Copa de 1970, garantindo o terceiro título mundial do Brasil de forma incontestável, encerrando a participação em Mundiais com a camisa verde e amarela.

A lista de prêmios individuais de Pelé é praticamente interminável. O Rei foi eleito melhor jogador da Copa do Mundo em 1962 e em 1970, e maior goleador de várias edições de Libertadores e Campeonatos Brasileiros. No dia 13 de janeiro de 2014, o ex-jogador foi justamente homenageado pela Fifa com a entrega da Bola de Ouro, premiação dada ao melhor jogador de cada temporada.

Em 2015, a revista France Football, representante da Bola de Ouro, reconheceu que Pelé teria sido considerado pelos padrões de avaliação atuais como o melhor do mundo em sete temporadas; 1958, 1959, 1960, 1961, 1963, 1965 e 1970.

Ao longo da brilhante carreira como jogador de futebol, Pelé participou de 1.364 jogos e marcou 1.282 gols. Pela seleção brasileira, o Rei balançou as redes em 95 oportunidades, nas 113 partidas disputadas.

De acordo com os números oficiais, no entanto, o craque brasileiro marcou 77 gols com a camisa verde e amarela. A estatística é considerada pela Fifa. A entidade máxima do futebol reconhece apenas os gols feitos em competições oficiais. Na época, jogos amistosos eram realizados com bastante frequência.

Pelé manteve o recorde de gols da seleção brasileira por 60 anos. Na Copa do Mundo do Catar, quando o Brasil foi eliminado para a Croácia nas quartas de final, Neymar chegou aos 77 gols e alcançou a marca do Rei.

Desde que se aposentou, em 1977, Pelé é comparado com todos os grandes craques que apareceram no futebol. Longe dos gramados, o Rei viveu uma inevitável relação com o craque argentino Diego Maradona. Mesmo internado, o brasileiro fez questão de lembrar do amigo após a conquista da Copa do Mundo da Argentina no Catar. "Certamente Diego está sorrindo agora", disse em publicação no Instagram.

Depois de Pelé, o futebol brasileiro voltou a sorrir com craques como Zico, Romário, Bebeto, Rivaldo, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho, todos com grande influência nos resultados esportivos, mas nenhum outro jamais foi chamado de rei. Pelé deixa o mundo estando numa prateleira única do esporte, mesmo depois de 45 anos da aposentadoria.

Portal a Tarde