Luís Eduardo Magalhães, a capital do agronegócio no oeste baiano, se prepara para receber a afiliada do Canal Rural


A região oeste da Bahia fincou a bandeira no mapa do agro com o empenho de produtores que se mostraram visionários, com investimento pesado em tecnologia, com decisões arrojadas que envolvem o poder público e o setor privado.

É nesse terreno fértil que nasce o Canal Rural Bahia, a quarta afiliada do Canal Rural que tem sede na capital paulista.

O ponto de partida serão os municípios de Luís Eduardo Magalhães e Barreiras. As duas cidades integram o território MATOPIBA (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), área onde o agronegócio vem se destacando no cenário nacional.

A empreitada será levada à frente por uma tríade, sócios de diferentes áreas que numa conexão olharam na mesma direção e enxergaram no horizonte verde a oportunidade de mostrar para o Brasil e para o mundo a revolução que vem acontecendo nesse pedacinho do país.

OS CABEÇAS

Ela e eles! Uma das três pontas é Vane Xavier especialista na área comercial que vê a chegada do Canal Rural Bahia como uma grande conquista para o mercado, “Hoje o Canal Rural é um veículo de múltiplas plataformas que goza de grande credibilidade e audiência dentro do segmento do agro e da pecuária. Uma oportunidade para o fortalecimento das marcas que investem na qualificação de seus serviços e no que há de mais moderno em termos de tecnologia”, disse a diretora comercial da nova afiliada.

O publicitário Leilson Soares, com domínio do agronegócio, vê a concessão da afiliada como fruto de um trabalho que vem sendo desenvolvido há mais de 10 anos, “Investimos desde o início na comunicação para o agro na nossa região, visando exaltar a nossa maior riqueza e mostrá-la a todo o país com responsabilidade e qualidade de conteúdo e audiovisual. Agora, com a chegada do Canal Rural Bahia, ampliamos ainda mais nossos horizontes. Nossa expectativa é continuar levando o agronegócio produzido aqui na Bahia para todo o Brasil, através de um jornalismo sério e de credibilidade", ressaltou o diretor de conteúdo e projetos da afiliada Bahia.

O também publicitário Sylvio Lyra engrossa o coro, “Vejo a implantação do Canal Rural Bahia como uma consequência de todo o investimento que vem sendo feito pelo setor do agro ao longo de todos estes anos. Com certeza será um divisor de águas para o setor do agronegócio”, disse o diretor de planejamento da afiliada do Canal Rural Bahia”.

A CAPITAL DO AGRONEGÓCIO

Por que Luís Eduardo Magalhães como sede do Canal Rural Bahia? O jovem município que tem pouco mais de 20 anos de emancipação, é um dos que mais crescem no país, sendo responsável por 60% da produção de grãos no estado.
É a terra que um dia foi um povoado, virou distrito até se tornar um celeiro de riquezas. Com solo ideal para o plantio, e clima favorável à agricultura a cidade despertou o interesse de produtores de várias regiões de dentro e de fora do país.

O nome Luís Eduardo Magalhães, é uma homenagem ao político baiano que fez história por exercer um papel importante no crescimento do nosso estado. Com certeza se estivesse vivo aprovaria a escolha.

Aos poucos a cidade vem recebendo infraestrutura com a melhoria das estradas, expansão urbana, abertura de hotéis, bares e restaurantes, investimentos nas áreas da saúde e educação. Tudo para suprir as necessidades dos novos e antigos moradores.

A chegada do Canal Rural Bahia será um marco na comunicação comemora Júnior Marabá, o quarto prefeito a ocupar o cargo, “Acredito que a escolha do Canal Rural em sediar a sua afiliada em Luís Eduardo Magalhães, seja em função de tudo que o setor do agronegócio do município representa hoje para o Estado, e também para o Brasil. Somos responsáveis por 14% do volume de exportação do Estado e a sétima economia, dentre os 417 municípios baianos. Que seja bem-vindo o Canal Rural e parabéns a toda equipe por essa conquista”, finaliza.

UMA HISTÓRIA DE SUCESSO

A criação do Canal Rural foi em novembro de 1996. Hoje a sede fica em São Paulo com escritórios em Porto Alegre, Brasília, Cuiabá e agora Luís Eduardo Magalhães, além de correspondentes em outros estados.

Falar sobre a ascensão do Canal Rural é contar um pouco da história do campo. A transmissão dos leilões foi um marco na TV brasileira.

Em mais de duas décadas a emissora vem investindo em parcerias para levar cada vez mais conteúdos exclusivos para o produtor rural. O agronegócio está no DNA do canal. A cobertura de eventos, o plantio, a colheita, as pesquisas e seus resultados são acompanhados de perto por equipes especializadas.

Com o advento da Internet o Canal Rural se tornou a maior multiplataforma de comunicação do agronegócio brasileiro. Para o presidente Júlio Cargnino a formatação da grade da programação espelha a responsabilidade que a emissora tem com o setor.

DE BRAÇOS ABERTOS

A cobertura jornalística sobre o agronegócio requer habilidade para tratar os temas, e dedicação para buscar pautas que valorizem todos os perfis com tratamento igualitário. Esse é o lema do Canal Rural Bahia que nasce com o compromisso de dar voz e vez a todos indiscriminadamente com responsabilidade e respeito.

A máxima “juntos somos mais fortes” se aplica como uma luva a esse momento. A relação que está sendo construída pelo Canal Rural Bahia com os produtores rurais de Luís Eduardo Magalhães e entorno é motivo de orgulho para os dois lados.

As reportagens que serão veiculadas nos telejornais Mercado e Companhia que vai ao ar de segunda a sexta, 12h20 e também no Rural Notícias, às 19h15, vão valorizar o homem do campo, mostrando seus desafios, descobertas, crescimento, projetos, planos para o futuro. As equipes estarão em campo acompanhando o plantio, a colheita, as pesquisas, os investimentos, os avanços tecnológicos, feiras e eventos direcionados ao setor.

A produção, reportagem e edição estão sob a responsabilidade das jornalistas Carla Letícia e Livia Calmon, as porta-vozes do Canal Rural Bahia. As duas profissionais qualificadas. Carla tem uma longa história no universo do agronegócio e Livia tem passagens por vários veículos de imprensa.

Em parceria com os produtores rurais vamos romper barreiras e mostrar ao mundo que o agro não tem fronteira.