Secretaria de Saúde de São Desidério realiza ações do Outubro Rosa


Para lembrar o mês de prevenção ao câncer de mama, a Secretaria de Saúde de São Desidério (Sesasd), por meio das Unidades de Saúde da Atenção Básica, realiza ações referentes ao Outubro Rosa no município. São palestras e atividades de sensibilização voltadas às temáticas de prevenção ao câncer de mama e do cólo uterino. Na manhã desta quarta-feira (26), foi a vez da Unidade de Saúde da Família Otacílio Jesuíno de Oliveira, na sede, realizar o evento.

O objetivo é sensibilizar ao público atendido de cada unidade de saúde, da sede e zona rural, sobre como prevenir, identificar os sintomas da doença e tratamentos recomendados. Até o momento, as atividades de sensibilização já foram realizadas nas Estratégias de Saúde da Família (ESF) e Unidades Básicas de Saúde (UBS) das regiões de Ilha de Vítor,Campo Grande, Roda Velha e de Ponte de Mateus.

O momento foi de orientação e bate-papo com as mulheres, conduzido pela enfermeira Elaine e o médico clínico geral Diego, que explicaram aspectos, a exemplo da anatomia da mama feminina, a importância do autoexame e fizeram um apanhado sobre o câncer de mama e de cólo uterino.

Dirlane Almeida (29), soube da palestra por meio da mãe Adolfina Almeida. “Achei interessante a ideia e vim participar pela primeira vez, para ficar mais informada sobre a doença. São orientações muito importantes e a gente precisa estar sempre atenta”, relatou a moradora da sede.

Após a palestra as participantes degustaram um delicioso café da manhã e puderam também sanar dúvidas. Na oportunidade foram feitos alguns agendamentos para exame de mamografia. Além do agendamento, também foram ofertados testes rápidos para hepatites B e C, sífilis e HIV.

Em São Desidério, atualmente, 25 mulheres foram diagnosticadas e estão em tratamento contra o câncer de mama. “A Atenção Básica trabalha no intuito de prevenção de doenças, e necessita realizar esses momentos dentro do mês de outubro para sensibilizar as mulheres, enfatizando a prevenção a um câncer que mais mata mulheres no mundo”, destacou a coordenadora da Atenção Básica do município, Danielli Manheze, que ainda acrescenta. “Durante essas palestras, também são feitas busca ativa a pacientes que fizeram a mamografia há dois anos ou mais, ou que nunca fizeram, com o objetivo de evitar a evolução da doença”, complementa Danielli.