Secretaria de Assistência Social de Barreiras desenvolve ações em alusão ao Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil de Crianças e Adolescentes


Em Barreiras, o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil de Crianças e Adolescentes foi marcado com ações que promovem reflexões sobre o direito de todas as crianças à infância segura, educação e à saúde, livre da exploração infantil, juvenil e de outras violações. A mobilização realizada pelas equipes da Secretaria de Assistência Social e Trabalho aconteceu no Centro de Abastecimento de Barreiras (CAB), entre os dias 10 a 12 de junho, junto com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Conselho Tutelar, Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS).

De acordo com a secretária de assistência social, o trabalho infantil é caracterizado como qualquer atividade econômica de sobrevivência, renumerada ou não, realizada por jovens em idade inferior a 16 anos, exceto na condição de aprendiz, a partir dos 14 anos. A programação elaborada teve como intuito orientar e reforçar os direitos das crianças e adolescentes.

“É muito importante a realização dessa ação conjunta com os diversos órgãos de proteção, pois cada um tem sua competência especifica. A preocupação neste momento, é de sensibilizar e alertar a população, para que não alimentem mais essa atividade do trabalho infantil, evitando assim, comprar produtos que as meninas e os meninos vendem pelas ruas da cidade e contratar o serviço de frete que menores ofertam nas feiras livres”, destacou Maritânia Gonçalves.

A secretária Maritânia destaca ainda que a vulnerabilidade social das famílias é um dos fatores que contribui com o trabalho infantil, para isso, os técnicos do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) e do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família, estão sempre com olhar atento desde o momento da acolhida, visita domiciliar e encaminhamento para a rede de garantia de direitos.

A campanha segue durante todo mês de junho com atividades no Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) e nos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), com atividades de conscientização e rodas de conversa.