Parque Vida Cerrado registra nascimento de filhote da espécie bugio-preto


O Parque Vida Cerrado – primeiro e único centro de conservação da biodiversidade, pesquisa e educação socioambiental idealizado pela Galvani, sua principal patrocinadora, apresentou, nesta semana, seu mais novo morador: Jorginho, um filhote da espécie bugio-preto (Alouatta caraya), nascido em 10 de março de 2022.

O nascimento do animal é resultado da reprodução entre Chico e Amêndoa, que estão sob os cuidados da equipe do Parque Vida Cerrado. O macho chegou ao criadouro em 2008, por intermédio do Ibama de Barreiras, após um possível atropelamento na rodovia BR 020, episódio em que teve seu braço direito amputado. A fêmea, por sua vez, deu entrada em 2021, vítima de tráfico, sendo encaminhada pelo Cetas, do Tocantins.

Para a bióloga e coordenadora do Parque Vida Cerrado, Gabrielle Bes da Rosa, o nascimento representa esperança para a espécie que está “em perigo” na lista estadual da Bahia. “Animais dessa espécie têm, como principais ameaças, o tráfico, a destruição de seu habitat e a caça indiscriminada. Através do nosso criadouro, que tem a finalidade de assegurar a variabilidade genética a partir da reprodução das espécies, somamos força a um esforço conjunto para conservar espécies da fauna silvestre. O momento é de felicidade, ainda mais pelo triste histórico dos pais, que torna esse nascimento ainda mais especial”, completa.

Quando o filhote completar os seis meses de idade, a equipe deve acionar o comitê responsável pela espécie no país em busca de recomendação de destinação para outra instituição, levando-se em consideração aspectos como genética, disponibilidade para recebimento e melhor estratégia para manutenção do programa de reprodução do bugio-preto.