quinta-feira, 29 de abril de 2021

Trotes recebidos pelo Samu 192 dificultam trabalho das equipes na região oeste


As equipes que atuam na Central Regional de Urgências (CRU) do Samu 192, instalada em Barreiras e que atendem ligações pelo telefone 192 oriundas de 23 municípios da região Oeste, alertam para o excesso de trotes recebidos nestes primeiros quatro meses do ano. Um total de 704 chamadas falsas foram registradas, enquanto que em 2020, durante todo o ano, foram contabilizados 2.052 trotes.

Toda ligação feita para o 192 chega até a CRU, - que tem o papel regulador-, é atendida por um técnico de regulação médica que identifica a procedência da solicitação e transfere a chamada para o médico regulador. A partir daí, a comunicação se dá por telefone com orientações junto ao solicitante, ou, quando necessário, com o acionamento de uma ambulância da base do Samu para deslocamento até o endereço da ocorrência.

A rapidez no atendimento durante todo o processo exige a articulação imediata das equipes, tanto da Central quanto da Base do Samu, porém, os trotes dificultam o trabalho e comprometem que casos reais recebam os cuidados necessários. “No momento em que pessoas ligam e geram esses trotes, estão ocupando as linhas e nos trotes mais graves, além de ocupar as linhas, acionam a ambulância, que sai da base. Então a gente está ocupando uma ambulância que poderia estar fazendo outro atendimento”, explica a coordenadora regional do Samu, Juana Jamile Ribeiro.

Segundo a coordenadora, os trotes mais comuns partem de crianças. “São ligações consecutivas até elas cansarem de ligar”, explica. Na sequência vêm as oriundas de pacientes psiquiátricos e pessoas que necessitam de atenção e apoio. Mas, o mais grave, segundo Juana, são as chamadas de adultos, por brincadeira. “Recebemos ligações, deslocamos a ambulância e não tem atendimento algum, esses tipos de comportamentos são de adultos que realmente simulam uma ocorrência grave”, destaca.

Samu 192 - Com dez anos de atuação em Barreiras, o Samu 192 é o primeiro a ser acionado sempre que surge uma situação de emergência em saúde ou há necessidade de atendimento, em primeiros socorros. A Central de Regulação de Urgências atende uma média de três mil chamadas mensais e neste momento de pandemia, além das ocorrências rotineiras, a equipe de profissionais está no enfrentamento do Coronavírus, com atendimentos diretos pré-hospitalar e transferências de pacientes moderados e graves, suspeitos ou confirmados de Covid -19.

Comente aqui!


Atenção!
Você é responsável pelo seu comentário.
Obrigado.
EmoticonEmoticon