quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Programa Soja Plus chega a 250 empreendimentos na região oeste da Bahia


Os indicativos de ações sustentáveis, nas áreas econômica, social e ambiental, têm registrado alta expressiva nos campos do Oeste da Bahia. Os agricultores da região são protagonistas de práticas que têm resultado em adequações dentro e fora das sedes das fazendas. Em 2020, a região alcançou a marca de quase 40% do seu território cultivado atendido pelo Programa Soja Plus, que orienta empregadores e trabalhadores rurais a adotarem medidas simples, mas eficazes. Mesmo com a restrição de visitas impostas pela pandemia, os técnicos do programa visitaram algumas propriedades, para aplicação de questionários e distribuição de materiais, a fim de garantir o índice de sustentabilidade.

“O sucesso do Soja Plus nas propriedades se deve, principalmente, ao interesse dos produtores. Quando eles seguem as orientações, realizando as mudanças na estrutura e na forma como lidam com recursos humanos, alcançam resultados melhores, com trabalhadores mais dispostos, redução de custos de operação, sem temer autuações por órgãos fiscalizadores”, afirmou Samuel Leite, coordenador do Soja Plus no oeste baiano. Ele lembrou ainda a importância da parceria com a Universidade Federal de Viçosa (UFV), que anualmente capacita estudantes para auxiliar nas atividades de campo do projeto.

Segundo pesquisa realizada pelo próprio programa, o nível de aceitação dos produtores participantes do Soja Plus é de 98%. Além de capacitar gratuitamente o produtor rural, distribuindo cartilhas, o Soja Plus já promoveu, na região oeste, 49 cursos sobre legislação ambiental e trabalhista, capacitando, até o momento, 640 profissionais.

“No início fizemos muitas coisas aqui na fazenda, sem o conhecimento que temos agora. Com o Soja Plus percebemos que, para adequar a propriedade aos termos da legislação precisávamos fazer uma grande mudança. E isso foi feito. Hoje, não temos mais o receio de chegar um fiscal para nos multar, porque temos seguido as orientações e isso tem dado muitos bons resultados”, ressaltou o produtor David Timm, da comunidade do Cascudeiro, no município de Baianópolis.

O programa teve início em 2011, por meio de uma parceria entre a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) e a Aprosoja/MT. Atualmente, esse programa está presente na maioria dos estados sojicultores do Brasil. Na Bahia, a parceria foi estabelecida, em 2014, com a Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) que, no início, passou a orientar 49 propriedades. Hoje, já são 250 fazendas atendidas, com uma abrangência de 806 mil hectares – 604 mil/ha (soja), 74 mil/ha (milho) e 128 mil/ha (algodão). Esta extensão representa cerca de 38% da área produtiva da região.

Entre as novas ações do Soja Plus Bahia as mais destacadas são: a implantação do laboratório de classificação de grãos (soja e milho), na Fazenda Modelo Paulo Mizote. Essa nova estrutura, dotada de profissionais habilitados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), dará suporte aos produtores, recebendo amostras, realizando análises e emitindo laudos que atestam a qualidade do grão. Outra importante ação, que está em fase final de elaboração, é o manual de resíduos em propriedades rurais, com previsão de lançamento para 2021.



Ascom Aiba

Comente aqui!


Atenção!
Você é responsável pelo seu comentário.
Obrigado.
EmoticonEmoticon