sábado, 17 de outubro de 2020

Governo zera tarifa de importação da soja e do milho


Para tentar conter a alta dos alimentos, o governo brasileiro decidiu zerar a alíquota de importação da soja e do milho. A medida já havia sido tomada para o arroz e visa aumentar a oferta dos produtos no país para baixar o preço.

A decisão foi tomada nessa sexta-feira (16/10), durante uma reunião extraordinária do Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex), a pedido dos ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Economia.

A isenção vale até 15 de janeiro de 2021 no caso da soja e até 31 de março de 2021 no caso do milho. E não tem uma cota definida. É mais flexível, portanto, que a do arroz. No caso do arroz, o governo permitiu a importação sem tarifa de no máximo 400 mil toneladas até o fim deste ano.

Por meio de nota, o Ministério da Agricultura explicou que "o objetivo é promover um ajuste entre a oferta e demanda desses produtos no período anterior à colheita da safra 2020/2021". O Ministério da Economia acrescentou que "ambas as medidas têm como motivação conter a alta de preços no setor de alimentos".

Alta de preços

Segundo a inflação oficial brasileira, medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o óleo de soja já subiu mais que o arroz neste ano. O produto ficou 51,3% mais caro desde janeiro e sofreu uma alta de 27,54% só em setembro. Já o arroz subiu 40,69% no ano e 17,98% no mês passado.

Correio Braziliense

Deixe aqui o seu comentário!


Atenção! Você responsável pelo seu comentário.
EmoticonEmoticon

Vamos Produzir?

Curta a página Hailton Pereira no Facebook!


Clique no botão CURTIR.