Sistema de saúde de Barreiras e região é analisado por acadêmicos de Medicina da FASB


Acadêmicos do curso de Medicina da Faculdade São Francisco de Barreiras (FASB), apresentarem na sexta-feira (31), no auditório João Altivo Bergamo, mais uma etapa do projeto pedagógico TII (Trabalho Interdisciplinar Institucional). Este ano, os alunos do terceiro semestre, mostraram aos colegas e professores, um amplo estudo sobre o sistema de saúde do município de Barreiras e vários municípios da região Oeste da Bahia.

O TII faz parte da terceira fase do projeto pedagógico da FASB, que busca realizar trabalhos em grupo com os estudantes. Vandré Vilela coordenador do projeto comentou a apresentação dos trabalhos. "O trabalho TII é a ferramenta que usamos para que os alunos possam vislumbrar os nichos de mercado, para que eles mesmos possam estudar a área de atuação e enxergar as possibilidades de trabalho e as dificuldades que venham a existir" comentou Villela.

Professor Marden Lucena, integrante da equipe pedagógica, esclarece que o trabalho do TII é um algo exclusivo da FASB e oferece aos estudantes uma oportunidade ímpar para estudar as áreas de atuação. “Com o projeto, os acadêmicos se juntam em equipe e conseguem elaborar vários estudos, com informações técnicas e numéricas, que são buscadas, na maioria das vezes, em órgãos federais, estaduais e municipais e isso é de grande importância para o processo de pesquisa que o projeto exige”, destacou.

Dentre as informações repassadas pelos acadêmicos, levantadas durante uma ampla pesquisa de campo, estão dados socioeconômicos da região, estudo de mercado na área de saúde de Barreiras e demandas e conquistas já incorporadas ao setor. “O trabalho exige muitas estratégia, para conseguirmos mostrar aos colegas e professores aquilo que o projeto almeja. A busca por informações do sistema de saúde de Barreiras, foi algo que mobilizou vários colegas da minha equipe, pois tivemos que dividir a logística, as áreas de atuação para cada um e ao mesmo tempo, termos uma mesma linguagem para apresentar”, destacou a acadêmica Viviane Dias.

Paulo Rodrigues, estudante do terceiro semestre de medicina destaca uma das abordagens realizada durante o trabalho de coleta de dados. “Uma das coisas que fizemos nestas pesquisas, foi identificar quais casos e a frequência em que os médicos não conseguem atender o paciente olhando nos olhos dele, são pequenos detalhes, mas que fazem parte de um estudo e precisam ser analisados com minuciosidade”, disse.








Araticum Comunicação

COMPARTILHAR
Anterior
Proxima