Sindicatos de Barreiras aderem paralisação contra Reforma da Previdência




Com a palavra de ordem “Reforma da Previdência NÃO!”, o Sindsemb, Sinprofe e Sind´Acs aderiram juntamente com todos os sindicatos de trabalhadores de Barreiras, a paralisação nacional contra a Reforma da Previdência 2019 do governo do presidente Jair Bolsonaro.

Agendada para o dia 22 de março, próxima sexta-feira, às 08h em frente a Câmara de Vereadores de Barreiras, a paralisação vai marcar o Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, numa tentativa de manifestar contra as mudanças radicais que vão prejudicar toda classe trabalhadora do país.

A presidente do Sindsemb, Carmélia da Mata alerta que, embora ainda não haja uma definição do texto final a ser apresentado no Congresso Nacional, as propostas vazadas até agora, como a capitalização da Previdência e a obrigatoriedade de idade mínima para o trabalhador se aposentarem, mostram que o projeto de Bolsonaro é ainda pior do que o apresentado nos governos anteriores e prejudicam diretamente a categoria dos servidores públicos.

“As propostas em estudo têm variações, mas os pontos centrais, como a adoção do sistema de capitalização e a obrigatoriedade da idade mínima e ter de trabalhar ainda mais para ter direito a 100% do benefício, são extremamente prejudiciais e afetam de forma cruel todos os trabalhadores. Os servidores não podem se calar nesse momento, por isso convidamos todos para se juntarem nesse movimento nacional contra a Reforma da Previdência”, disse a presidente.

Os sindicatos estão mobilizando os servidores para que vistam a camisa da paralisação e demonstrem sua insatisfação com a reforma, chamando atenção para os deputados federais que votarem a favor da Reforma, traindo os interesses da população e prejudicando todos os trabalhadores, inclusive servidores públicos e o homem do campo.

COMPARTILHAR
Anterior
Proxima