A Câmara Municipal de Formosa do Rio Preto aprovou no dia 25 de junho o projeto de municipalização do Bolsa Família, de autoria da Prefeitura. O Programa é totalmente custeado pelo município e vai ajudar a complementar a renda das famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade, combatendo a fome, reduzindo as desigualdades e promovendo políticas públicas. É a Prefeitura de Formosa do Rio Preto, cada vez mais trabalhando pela nossa gente.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Saúde Mental e Qualidade de Vida são temas de Palestra no CRAS de São Desidério





A Secretaria de Assistência Social de São Desidério (SAS) realizou na manhã desta quinta-feira(31) uma programação de palestras no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), anexo do Bairro Alto do Cristo, para orientar sobre o tema Saúde Mental e Qualidade de Vida. O evento lembra a Campanha Janeiro Branco que objetiva mobilizar a sociedade sobre o assunto

“A saúde mental é um tema ainda pouco discutido pela sociedade, existem muitos tabus e preconceitos que precisam ser compreendidos e desmistificados, por isso levar informação é a melhor forma de entender o conceito de saúde mental”, explica a psicóloga da SAS, Fredinara Leal Corado.

Colocar o tema da saúde mental ao máximo em evidência fazendo com que as pessoas reflitam, discutam e atualizem suas ideias sobre o que é a saúde mental é um dos pontos destacados pelo Psiquiatra Enock Luz que ministrou a palestra. “Costumamos cuidar rapidamente da saúde do corpo quando surge um problema, mas é preciso cuidar também da saúde mental e não deixar para depois como costumamos fazer”, alerta Enock. Ele explica que a saúde mental pode ser abalada por vários fatores como a perda de um ente querido, doenças biológicas, mas também por problemas, sofrimentos e dificuldades da vida cotidiana que são acumulados ao longo do tempo. “Não tenha medo, todos têm problemas e dificuldades, não devemos acumular os sofrimentos, precisamos aprender a dialogar com as pessoas certas, buscar informação e ajuda profissional”, explica o psiquiatra.

É recorrente o crescimento de casos de depressão, ansiedade, fobias, pânico, agressividade e outros sintomas. Isso mostra que as pessoas precisam começar a cuidar melhor de aspectos mentais e emocionais. “Com todas as orientações que recebemos fica mais fácil de identificar os sinais e fazer uma autoanálise como foi dito”, comenta Vilma Silva de 37 anos que sempre participa dos trabalhos do CRAS.