Danos ao patrimônio público causam prejuizos ao municipio e a população luiseduardense



Em alguns pontos de Luís Eduardo Magalhães, o que se vê é o resultado do vandalismo e da falta de cuidado da população com o patrimônio público municipal. São bancos de praças quebrados, equipamentos esportivos prejudicados, lixeiras e banheiros públicos danificados. Esses são problemas enfrentados diariamente pela população e pela prefeitura.

As ações dos vândalos atingem diretamente todos os cidadãos e contribuintes. Os prejuízos ao patrimônio público são arcados pelas secretarias que precisam repor as perdas. Recursos que, segundo o prefeito Oziel Oliveira, poderiam ter outros destinos.

“Um novo investimento que iria beneficiar a população deixa de ser feito ou é adiado porque a verba que seria utilizada teve que ser destinada para a reparação dos danos e prejuízos causados pelo vandalismo”, afirmou o chefe do executivo municipal.

E a lista de prejuízos é ainda maior. O dinheiro público também vai para a reposição de lâmpadas quebradas e áreas verdes prejudicadas. Outra área muito atingida pela ação dos vândalos é a depredação dos abrigos de ônibus e da sinalização de trânsito. A Secretaria Municipal de Segurança, Ordem Pública e Trânsito, sofre prejuízos diários com essas atitudes que podem provocar sérios problemas.


“As placas estão lá para ajudar a garantir a segurança no trânsito. Não são colocadas de forma aleatória. Quando são danificadas e o condutor não consegue identificar o que ela diz, pode causar graves acidentes”, lamentou o prefeito Oziel Oliveira.

Depredação ao patrimônio público segundo o código penal é crime. O artigo 163 diz que destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia pode levar à pena de detenção de um a seis meses ou multa. A população pode denunciar os atos de vandalismo ligando para a polícia (190). Não é necessário se identificar para registrar a denúncia.


Ascom/Prefeitura de Luis Eduardo Magalhães

COMPARTILHAR
Anterior
Proxima