Barreiras: II Encontro de Formação na Perspectiva Psicopedagógica discute transtornos de aprendizagem e bullying


A Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Barreiras por meio da Diretoria de Acessibilidade e Inclusão reuniu professores, coordenadores pedagógicos e profissionais da educação inclusiva nessa manhã de quarta-feira (31) para participarem do II Encontro de Formação na perspectiva Psicopedagógica com o tema “Psicopedagogia e as contribuições para o trabalho pedagógico”.

O encontro realizado no Centro Cultural Rivelino da Silva de Carvalho em parceria com o Instituto Caturama, foi mediado por profissionais da área de psicopedagogia, educação inclusiva e psicoterapia, que possuem ampla experiência em pesquisas e estudos nas áreas de transtornos de aprendizagem, neurologia, psiquiatria, hiperatividade e problemas de convívio como bullying. A ação faz parte do Programa de Formação Continuada da Secretaria Municipal de Educação e busca oferecer aos profissionais que lidam com crianças e adolescentes com deficiência, transtornos e hiperatividade, ferramentas para serem utilizadas no cotidiano escolar.

Logo após a apresentação musical dos alunos da Escola de Música Antoninho Sampaio, que trouxeram para o ambiente a flauta doce, a psicopedagoga clínica e institucional, Tatiane Gusmão, fez a primeira palestra, falando de Transtornos de Déficit de Atenção com Hiperatividade- TDAH, processos perceptivos, mecanismos atencionais, sintomas, fatores externos e genéticos que influenciam na aprendizagem da criança.

“Definimos o TDAH como invisível, muitas vezes a criança é totalmente saudável, não apresenta nenhuma alteração neuroquímica, mas ainda não consegue aprender. E numa avaliação mais profunda, percebemos que existe os problemas externos, como baixa visão, surdez, adenoide que influencia no sono, além de outros problemas emocionais. Essa percepção é muito importante, não podemos rotular e deixar o aluno de lado, simplesmente porque não consegue assimilar o conteúdo, temos sim que buscar meios para melhorar o desempenho, saber porque está acontecendo o déficit de atenção e aprendizagem”, pontuou Tatiane.

Acompanhando o encontro, a subsecretária Emília Moreno destacou a valorização dos profissionais de educação, a ampliação da educação inclusiva nas escolas e o investimento em formação continuada.

“Ao longo do ano, todos os educadores participaram de um mínimo de oito horas de formação, com encontros realizados em palestras, jornadas, reuniões, oficinas e encontros. Estamos com um planejamento intensivo na formação continuada para todos os professores, colaboradores, técnicos e profissionais da educação, atendendo as demandas pedagógicas da rede municipal de ensino, auxiliando o professor que é verdadeiramente o gestor da sala de aula, organizando os tempos, rotinas, interdisciplinaridade e vínculo familiar. Tudo isso faz parte de um processo de aperfeiçoamento constante”, disse a subsecretária.

A subdiretora de acessibilidade e inclusão, Eliene Fernandes, explicou que durante todo o dia, aconteceram ainda as palestras “Uma Perspectiva preventiva para o bullying” com a psicoterapeuta holística, Fatima Liguori e “Coordenador pedagógico: do planejamento a ação” com a professora da UNEB, Sandra Lousada.


Dircom

COMPARTILHAR

Publicado por:

Anterior
Proxima
Os comentários publicados aqui por você, são de sua inteira responsabilidade.