Entrega da Comenda João Montalvão e Pegada do Mastro marcam início dos festejos de setembro em São Desidério







As comemorações da Pegada do Mastro, que este ano celebra 102 anos de tradição em São Desidério, tiveram início na noite de sexta-feira, 31 de agosto na Lavanderia Cultural com a entrega da Comenda João Montalvão e distribuição das camisas aos participantes. Na manhã de sábado, 1º de setembro, foi a vez de homens e mulheres participarem de mais uma edição da Pegada do Mastro.


Realizada pelos organizadores dos festejos da Padroeira Nossa Senhora Aparecida celebrada dia 19, e do Divino Espírito Santo, 20, o evento ganhou dimensão ao longo dos anos e apoio da Prefeitura Municipal por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer.


Comenda - Na entrega da Comenda, que recebeu o nome de João Montalvão em homenagem a um dos precursores da tradição no município, foram prestigiados dez participantes da tradição que receberam o título de “Pegador do Mastro”, sendo lembrados: Di dos Carvalhos, Zé Moreira, Josemar, Durval, Thiago Kruschewsky, Tõe da Dora, Gama, Izaias - o participante mais idoso, Chico - neto de João Montalvão e Inacira, a primeira mulher participante.


“Sempre é bom participar da Pegada do Mastro. É uma das melhores festas que existem em São Desidério. Estou com 78 anos e todo ano gosto de participar. Eu gostei da homenagem que recebi e fiquei muito grato por lembrarem de mim”, afirmou o participante Izaías Dias dos Santos.


Na 102ª edição da Pegada do Mastro, os foliões se dirigiram para a localidade de Cabeceira da Mamona, um percurso de cerca de 06 km da sede, que recebeu sinalização. Também foram realizadas homenagens póstumas a alguns capitães do mastro, pessoas que contribuíram para preservar a tradição no município. Nesta edição foram lembrados os capitães: Nego Mário, Calixto, Cideira, Valmir do Neguim e Muruca.


“Quero agradecer a homenagem a meu pai, que era bem conhecido na cidade e fazia questão de participar das tradições culturais. Ele sempre me falava como era bom o seu tempo de infância e adolescência em que todos se reuniam para a Pegada do Mastro. E hoje, ele está sendo lembrado nessa festa me deixa muito feliz”, relatou Tulio Fleury, filho do saudoso Nego Mário.


Rodas de samba, formadas ao som de tambores e instrumentos rústicos deram o tom da festa na Cabeceira da Mamona, e no fim da tarde a chegada do cortejo à cidade foi aguardada por muitas pessoas.


“A comunidade abraçou essa festa por ser a principal referência das festividades de São Desidério. Em especial o mês de setembro, visto que essas celebrações são alusivas ao Divino Espírito Santo e Nossa Senhora Aparecida. Se a Espanha tem a Caminhada de Santiago de Compostela, o Brasil tem a Romaria de Nossa Senhora Aparecida, São Desidério tem a Pegada do Mastro”, declarou o participante e pegador do mastro, Ataíde Cordeiro.


Pegada do Mastro – Em Cabeceira da Mamona, no primeiro sábado de agosto são retiradas duas árvores com cerca de 15 metros de comprimento cada, e reservadas neste local. Um mês depois, no primeiro sábado de setembro, as árvores são trazidas pelos foliões até a cidade. Em frente à Igreja Matriz os mastros são hasteados durante os festejos religiosos da cidade e recebem as bandeiras da Padroeira do município e do Divino Espírito Santo.


AscomSD

COMPARTILHAR

Publicado por:

Anterior
Proxima
Os comentários publicados aqui por você, são de sua inteira responsabilidade.