Palestrantes e escritores do Brasil, Portugal e África marcaram presença na FLIB 2018








Foram 3 dias intensos. Literatura, arte, dança, diálogos, lançamento de livros, oficinas midiáticas, novos escritores, experientes literatas, estudantes, inclusão, mundo digital, papel, palavras e pessoas, muitas pessoas, todos esses elementos simbolizam a Festa Literária de Barreiras – FLIB 2018.

Corredores lotados, estandes movimentados, palco iluminado e auditório com um público ávido por informações, enriquecimento cultural e ideias. Quem conviveu nesse ambiente sabe como definir a presença de profissionais de todo Brasil e outros países, que compareceram para engradecer o maior evento literário do interior da Bahia.

Nomes como Cidinha da Silva, a paulista Suzana Vieira, os baianos João Figuer, Carlos Henrique Lucas Lima, Gedalva Paz e Valuza Saraiva, a sergipana Moema Franca, o português Luis Serguilha e a angolana Teresa Silva, professora da Universidade Agostinho Neto de Angola, confirmaram a diversidade e expressividade que as Universidades e membros do Conselho Curador proporcionaram a FLIB.

Mesmo diante das adversidades, UFOB, UNEB, IFBA, ABL e NTE 11 buscaram apoio e trouxeram grandes nomes da literatura nacional e internacional que intimamente ligados ao universo da imaginação, literatura e palavras, não deixaram de citar em suas palestras as questões que inquietam o Brasil e o mundo.

“A FLIB foi realizada por meio de grandes parcerias. Nossos membros do Conselho Curador trouxeram grandes escritores e palestrantes do Brasil, Portugal e África, a exemplo da professora angolana Teresa Silva, que trouxe sua realidade, suas experiências e engradeceu nosso evento. Todos contribuíram, construíram e são parabenizados pelo excelente trabalho durante os 3 dias de Festa Literária de Barreiras”, disse a secretária de educação, cultura, esporte e lazer Cátia Alencar.

Convidados especiais e escritores da região também vieram prestigiar, como a escritora mirim Domenik que reside em Novo Horizonte, na Chapada da Diamantina. Aos 9 anos, a pré-adolescente lançou o livro “Debaixo da minha cama tem um monstro”, e o barreirense Arthur Ledoux de 11 anos, que estreou sua obra Vale dos Dinossauros. Outro escritor renomado a comparecer na festa foi o membro da Academia Goiana de Letras, Aidenor Aires, filho de Riachão das Neves mas reside em Goiânia. Além de escritores de Cristópolis, Angical e outros municípios circunvizinhos.

COMPARTILHAR

Publicado por:

Anterior
Proxima
Os comentários publicados aqui por você, são de sua inteira responsabilidade.