Em nota, Planalto afirma que vai 'preservar' política de preços da Petrobras


O Palácio do Planalto divulgou nota nesta quarta-feira (30) na qual afirmou que o governo vai “preservar” a política de preços da Petrobras.

A política de preços da Petrobras é um dos pontos criticados pela greve dos caminhoneiros. Desde julho do ano passado, a estatal promove os reajustes com base na variação do dólar e dos preços do petróleo no mercado internacional.

A nota oficial desta quarta informa que o governo "tem compromisso com a saúde financeira da Petrobras". O texto cita também que a redução no preço do óleo diesel, como foi acordado entre o governo e grevistas, não altera a política de preços da estatal.

"As medidas anunciadas pelo governo para garantir a previsibilidade do preço do óleo diesel, que teve seu valor reduzido ao consumidor, preservaram, como continuaremos a preservar, a política de preços da Petrobras", disse a nota.


A fala do presidente deixou dúvida se ele disse "não podemos reexaminá-la" ou "nós podemos reexaminá-la". Consultada, a assessoria de comunicação do Planalto informou que Temer disse "nós".


"Convenhamos, a Petrobras se recuperou ao longo destes dois anos. Estava em uma situação, digamos, economicamente desastrosa há muito tempo. Mas nós não queremos, digamos, alterar a política da Petrobras. Nós podemos reexaminá-la, mas com muito cuidado", declarou o presidente na entrevista.



Veja a íntegra da nova divulga pelo Palácio do Planalto:
Nota à imprensa
O governo do presidente Michel Temer tem compromisso com a saúde financeira da Petrobras, empresa que foi recuperada de grave crise nos últimos dois anos pela gestão Pedro Parente.
As medidas anunciadas pelo governo para garantir a previsibilidade do preço do óleo diesel, que teve seu valor reduzido ao consumidor, preservaram, como continuaremos a preservar, a política de preços da Petrobras.


COMPARTILHAR

Publicado por:

Anterior
Proxima
Os comentários publicados aqui por você, são de sua inteira responsabilidade.