Governo libera R$ 1 bi para programas de formação de professores



O Ministério da Educação vai destinar R$ 1 bilhão do orçamento do biênio 2018/2019 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para programas de formação de professores. De acordo com a pasta, serão criadas 190 mil vagas em todo o Brasil. O anúncio foi feito na noite de quarta-feira, no Palácio do Planalto, em evento que contou com a presença do presidente Michel Temer e do ministro da Educação, Mendonça Filho.

Voltado para professores e estudantes de literatura, o recurso anunciado será dividido entre três ações: o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) e o Programa de Residência Pedagógica com 45 mil vagas cada uma, e a Universidade Aberta do Brasil (UAB), que oferecerá 100 mil vagas.

O R$ 1 bi, como revela o ministério pela sua assessoria de imprensa, será investido no setor educacional a partir de agosto deste ano, mas já a partir deste mês de março, ressalta a pasta, as instituições contempladas pelo anúncio devem apresentar os projetos, que serão avaliados por bancas examinadoras.

A liberação dos recursos é justificada pela secretária-executiva do MEC, Maria Helena Guimarães Castro, como um investimento necessário para o professor dominar o conteúdo que deve ensinar e melhor conhecer a realidade escolar. "Em geral, o aluno sai da faculdade, sem nunca ter conhecido o funcionamento de uma escola de educação básica, nem público nem privada", destacou a responsável pela apresentação do plano, que ela se refere como uma "proposta articulada".

O novo edital do Pibid, conforme divulgou a pasta, pretende promover a iniciação do licenciando no ambiente escolar ainda na primeira metade do curso. Visa, informa o ministério, "estimular, desde o início da jornada do docente, a observação e a reflexão sobre a prática profissional no cotidiano das escolas públicas de educação básica". Os selecionados serão acompanhados por um professor da escola e por um docente de uma das instituições de educação superior participantes do programa.

Já o Programa de Residência Pedagógica vai ensinar técnicas ao ofício de professor em sala de aula a partir de métodos da pedagogia, com a mesma dinâmica dos selecionados no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência.

O terceiro edital, sem muita inovação, é basicamente divulgar o sistema de ensino da Universidade Aberta do Brasil (UAB), que segundo o MEC, é "uma iniciativa do Ministério da Educação para oferecer aos professores que atuam fora de suas áreas de formação a oportunidade de obter a capacitação adequada".

Em sua fala sobre o investimento, Temer afirmou que os programas para formação de professores é um mecanismo que visa "modernizar a educação em nosso país” enquanto um “grande alicerce para uma economia próspera e uma democracia vibrante".

COMPARTILHAR

Publicado por:

Anterior
Proxima
Os comentários publicados aqui por você, são de sua inteira responsabilidade.