Desabamento de prédio mata criança e deixa soterrados no bairro de Pituaçu, em Salvador


Um prédio de quatro pavimentos onde moravam sete pessoas da mesma família desabou na manhã de chuvas desta terça-feira (13), na Rua Alto de São João, no bairro de Pituaçu, em Salvador. Um menino de 12 anos, de prenome Robert, morreu, de acordo com a Secretaria de Saúde do Município (SMS).

Segundo Juliana Portela, da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), três pessoas moravam em um andar de cima: um homem, a mulher dele - que teve ferimento na face -, e a filha deles, um bebê. Todos eles já foram retirados do imóvel e levados para o Hospital Geral do Estado (HGE). Eles foram identificados como Alex Pereira de Jesus, de 29 anos, Beatriz, de 30 anos, e Sabrina Menezes, de 11 meses.

No andar de baixo, moravam um homem e uma mulher - irmãos do homem que morava em cima - e duas crianças, o menino que morreu e um bebê de um ano. Os irmãos foram identificados como Rosemeire Pereira de Jesus, 34 anos, e Alan Pereira de Jesus, de 31 anos e o bebê tem o prenome Artur.

Os dois adultos e o bebê ainda estavam soterrados nos escombros do prédio até por volta das 9h30. A criança morta foi retirada por volta das 7h30 dos escombros.

Quatro ambulâncias do Samu atuam no local do resgate. Moradores da localidade e bombeiros também estão nos trabalhos, na tentativa de retirar as demais vítimas. O desabamento ocorreu por volta das 6h.

O prédio ficava no final de um beco estreito na Rua Alto do São João. Moradores se aglomeraram no espaço para acompanhar o resgate das vítimas, e a quantidade de pessoas no caminho chegava a atrapalhar a passagem das equipes.

O diretor-geral da Defesa Civil de Salvador, Sosthenes Macedo, um dos moradores que sobreviveu disse que o prédio era dividido em quatro pavimentos: subsolo, térreo, primeiro e segundo andar. A construção teria cinco anos. O diretor-geral afirmou que a avaliação preliminar é de que a construção do prédio era irregular.

"Somente depois da área limpa, para enxergar a fundação, a estrutura que foi construída, para fazer o levantamento da edificação. Só com o término do procedimento. Agora o foco é efetivamente buscar os possíveis sobreviventes. Os engenheiros informam que muito provavelmente foi uma falha na técnica de construção da edificação, que pode ter gerado esse tipo de situação, somado com a chuva desse período, que passou em 50% da perspectiva que estava prevista para todo o mês de março apenas nas últimas 12 horas", disse Sosthenes Macedo.

                                                    Foto: G1 Bahia

                               Foto: G1 Bahia 

COMPARTILHAR

Publicado por:

Anterior
Proxima
Os comentários publicados aqui por você, são de sua inteira responsabilidade.