1º Workshop de Piscicultura é aberto com dia de campo e transferência de conhecimentos


Produtores rurais, técnicos e profissionais ligados à área se reuniram na manhã desta terça-feira (27) para um amplo debate sobre a criação do pescado no oeste da Bahia. O dia de campo realizado na Propriedade WR (Projeto de Irrigação Barreiras Sul), integra a programação oficial do Páscoa no Parque, da Prefeitura de Barreiras. À tarde um curso de filetagem e subprodutos de peixe encerra o dia de campo, na Fazenda Modelo Paulo Mizote, no Projeto Barreiras Norte.


“Esperamos repetir este ano o êxito alcançado pelo Páscoa no Parque realizado em 2017 mas, principalmente, que todos possam se beneficiar das palestras que organizamos, além da comercialização do pescado para a Semana Santa e da parte de entretenimento, o evento tem como grande diferencial e objetivo, a transferência de conhecimentos para os produtores inseridos na cadeia do agronegócio”, diz o secretário de agricultura de Barreiras, José Marques.


Dentre o cardápio de palestras oferecidas no turno da manhã, a de nutrição e manejo em tanque escavado, sob a coordenação do professor da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), de Ilhéus, Gustavo Braga repassou aos presentes informações importantes sobre a criação de peixes. O equilíbrio na linha de produção foi destacado como fundamental para a obtenção da lucratividade. “Temos que ser responsáveis por aquilo que estamos produzindo para o consumidor, portanto, é necessário uma ração de qualidade e adequada às diferentes fases de vida do peixe, essa é a melhor forma de fazer ele crescer rapidamente e estar pronto para ser retirado”, alertou o palestrante.


Para o produtor Salvador Filho, que possui uma área de 8,5 hectares no Projeto de Irrigação, o evento se revela como importante fator de proliferação de conhecimentos, necessários para a profissionalização da cadeia produtiva local. “A gente tem muita produção mas esbarra na comercialização. Esse evento vai nos ajudar a atingir o mercado consumidor externo, uma vez que todo o pescado aqui produzido é destinado para a comercialização de Barreiras”.


No projeto de irrigação vivem 400 famílias que tiram da terra o sustento, além do pescado, produzem leite, gado de corte, ovinos, galinhas caipira e ovos. Estes produtores conheceram ainda um pouco mais sobre licenciamento ambiental, com uma palestra ministrada pelo secretário de meio ambiente e turismo de Barreiras, Demósthenes Júnior, as linhas de crédito destinadas ao pequenos produtor, por Wolnei Santos, do Banco do Nordeste do Brasil e controles zootécnicos na piscicultura, na palestra de Ana Luiza Campus.

COMPARTILHAR

Publicado por:

Anterior
Proxima
Os comentários publicados aqui por você, são de sua inteira responsabilidade.