Realizadas neste domingo as provas do concurso público da rede estadual de ensino



Edu­ca­dores de toda a Bahia re­a­li­zaram neste do­mingo (25/02) as provas ob­je­tiva e dis­cur­siva do con­curso pú­blico des­ti­nado para pro­fes­sores e co­or­de­na­dores pe­da­gó­gicos da rede es­ta­dual de en­sino. O ob­je­tivo é pre­en­cher 3.760 vagas, sendo 3.096 para o pri­meiro e 664 para para o se­gundo, res­pec­ti­va­mente, como parte das ações do Go­verno Es­ta­dual em for­ta­lecer o eixo pe­da­gó­gico nas es­colas e va­lo­ri­zação dos pro­fis­si­o­nais da edu­cação. O con­curso ainda con­tará com uma etapa para ava­li­ação de tí­tulos (com pre­visão para abril de 2018).
O se­cre­tário da Edu­cação do Es­tado, Walter Pi­nheiro, falou da ini­ci­a­tiva de pro­mover um con­curso desta abran­gência. "Esse era um ob­je­tivo da gestão es­ta­dual já que de­fi­nimos como o ali­cerce para a trans­for­mação da edu­cação pú­blica um novo eixo pe­da­gó­gico que va­lo­ri­zasse, além do con­teúdo, os agentes pre­sentes na es­cola. E o edu­cador é uma parte fun­da­mental para que te­nhamos su­cesso neste novo ca­minho. Com um co­or­de­nador pe­da­gó­gico em cada es­cola e pro­fes­sores pro­du­zindo uma pe­da­gogia de apren­di­zagem que in­te­raja com as par­ti­cu­la­ri­dades de cada re­gião, acre­di­tamos que os es­tu­dantes pas­sarão para um outro nível de co­nhe­ci­mento, onde a es­cola não vai apenas pre­pará-los para a for­mação pro­fis­si­onal, mas também para a vida", des­tacou.

Se­gundo o su­pe­rin­ten­dente de Re­cursos Hu­manos, Adriano Tam­bone, da Se­cre­taria da Ad­mi­nis­tração do Es­tado, a re­a­li­zação do con­curso sim­bo­lizou um marco para a edu­cação do es­tado. "Esse con­curso tem uma ca­rac­te­rís­tica im­por­tante, porque é o pri­meiro con­curso dos úl­timos anos que já é re­a­li­zado para carga ho­rária de 40h. Então acho que essa foi uma di­re­triz im­por­tante do go­ver­nador Rui Costa, até na pers­pec­tiva de ter o pro­fessor mais in­te­grado à es­cola. E per­ce­bemos, com mais de 103 mil ins­critos, que essa foi uma ini­ci­a­tiva acer­tada, junto com a ideia de pro­mover um co­or­de­nador pe­da­gó­gico por es­cola. Então es­pe­ramos, após todo os pro­cessos de ava­li­ação, que a partir do se­gundo se­mestre, esse pes­soal já co­mece a en­trar em ati­vi­dade", res­saltou.

Na per­pec­tiva por uma vaga de co­or­de­na­dora pe­da­gó­gica, Te­reza Cris­tina Chagas, 46 anos, falou da ex­pec­ta­tiva de in­gressar no quadro de edu­ca­dores da rede es­ta­dual. "É um sonho poder ter essa opor­tu­ni­dade, porque sempre quis tra­ba­lhar com en­sino e atu­al­mente estou me for­mando em pe­da­gogia. Es­pero poder passar no con­curso para exercer o me­lhor tra­balho pos­sível, pois sei que vou ter a tran­qui­li­dade para atuar tendo um tra­balho es­tável", afirmou.

Já Jo­seni Araújo, 51 anos, que atua como pro­fes­sora pelo Re­gime Es­pe­cial de Di­reito Ad­mi­nis­tra­tivo (REDA), na edu­cação mu­ni­cipal, pa­ra­be­nizou o es­tado pela in­ci­a­tiva de co­locar um co­or­de­nador pe­da­gó­gico em cada es­cola. "Cada pro­fis­si­onal tem sua função e es­pe­ci­a­li­dade e o co­or­de­nador pe­da­gó­gico é fun­da­mental para a or­ga­ni­zação do en­sino apren­di­zagem nas es­colas. Existe muita gente ex­pe­ri­ente, e eu me in­cluo, que po­deria ajudar ainda mais na me­lhoria da edu­cação atu­ando nas es­colas. Então con­si­dero acer­tada a de­cisão e es­pero estar dentro desta nova equipe es­colar", sa­li­entou.

COMPARTILHAR

Publicado por:

Anterior
Proxima
Os comentários publicados aqui por você, são de sua inteira responsabilidade.