Abertura da “Semana do MP”: PGJ conclama membros e servidores a fortalecerem a luta em prol dos cidadãos



“Em tempos tão sombrios, com tamanha intolerância, é fundamental sermos sentinelas avançadas do respeito à liberdade de escolha do povo da Bahia”. O conclame foi feito pela procuradora-geral de Justiça Ediene Lousado na noite de ontem, dia 13, durante a abertura da 'Semana do MP'. Ao lado de autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário baiano, ela exortou uma renovação de votos na defesa intransigente dos direitos fundamentais e sociais elencados nas constituições Federal e da Bahia, lembrando que é papel constitucional do MP servir de guardião inexorável da soberania popular. “Devemos seguir firmes na defesa dos interesses e garantias das minorias, das mulheres, dos idosos, das pessoas com deficiência, do meio ambiente, dos consumidores, da educação e saúde públicas de qualidade e, enfim, de um padrão necessário para viver bem”, ressaltou Lousado aos membros e servidores do MP.

Ao abordar a realidade atual, a chefe do MP baiano lembrou que, há um ano, apontou que “vivenciávamos um contexto de ataques às garantias e prerrogativas pessoais e institucionais do Ministério Público” e que hoje percebe que, infelizmente, o cenário não mudou muito. “Mas, se os tempos têm sido sombrios, a nossa base é segura, construída sob rochas, e, por isso, continuaremos firmes para passar pela tempestade, sem deixar de lutar ainda mais pelas conquistas democráticas alcançadas ao longo dos anos”, salientou a PGJ. Ela destacou que os colegas e a sociedade baiana têm acesso facilitado aos relevantes e favoráveis dados estatísticos dos avanços administrativos, financeiros, estruturais e finalísticos do MP nesses dois últimos anos. Também assinalou que ainda há muito a fazer. “Persistirei lutando por mais e asseguro que obtermos mais êxitos em 2018. Disso, não tenho a menor dúvida!”, concluiu.

Ediene Lousado falou ainda sobre algo que lhe parece fundamental para alcançar melhorias: o viver bem. “Precisamos viver bem em nosso trabalho, com nossos colegas, com os demais profissionais com quem convivemos e com as pessoas que atendemos”. O Ministério Público deve ser um meio de viver bem para nós e para a sociedade baiana, reforçou ela, conclamando: “precisamos fazer o bem pelas pessoas através do nosso trabalho. Não podemos perder como referencial o fato de que a nossa missão é ajudar as pessoas e a sociedade”.

COMPARTILHAR

Publicado por:

Anterior
Proxima
Os comentários publicados aqui por você, são de sua inteira responsabilidade.