Fim do vazio sanitário marca início do plantio de algodão na Bahia



Com o fim do período do vazio sanitário, encerrado nesta segunda-feira (20), os produtores de algodão da Bahia estão liberados para iniciarem o plantio da safra 2017/2018. A medida, estabelecida por meio da portaria Nº 213/2015, pela Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), determinou que durante dois meses (de 20 de setembro e 20 de novembro), os produtores de algodão do oeste da Bahia eliminassem as plantas vivas do algodoeiro do campo. Esta é uma das mais eficientes ações para a prevenção e combate às principais pragas na lavoura do algodão, principalmente o bicudo do algodoeiro (Anthonomus grandis).

Diante dos ótimos resultados de produtividade na última safra, quando atingiu os 310 arrobas de algodão/hectare, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) prevê o aumento de 33% da área plantada em relação à última safra, sendo estimados cerca de 268 mil hectares. Deste total, somente 36,3 mil hectares é irrigado. “Estamos apostando na regularidade das chuvas, que estão voltando à normalidade, e no trabalho desenvolvido em conjunto pelos agricultores e técnicos do programa fitossanitário para a prevenir e combater doenças e pragas na lavoura”, explica o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato.

Na safra passada, foram plantados 201,6 mil hectares, sendo colhidos cerca de 393,7 mil toneladas de algodão em pluma e 937,5 mil toneladas de algodão em caroço. “Com a normalização do clima, vamos retomar a nossa área plantada. Nos próximos três ou quatro anos, chegaremos à nossa capacidade instalada de 400 mil hectares, buscando de volta os agricultores para o plantio de algodão, gerando ainda mais riqueza e desenvolvimento para a região” afirma.


Assessoria de Imprensa Abapa

COMPARTILHAR

Publicado por:

Anterior
Proxima
Os comentários publicados aqui por você, são de sua inteira responsabilidade.